Aparelho Ortodôntico: Como saber se preciso de aparelho?

Atendimento por Whatsapp

Muitas pessoas têm essa dúvida. O aparelho ortodôntico pode ser útil – e até mesmo necessário – em uma série de casos. Mas como saber se você precisa, de fato, utilizá-lo? As razões para o uso são várias, e dependem bastante de diversos fatores.

Se os seus dentes são tortos, se você sente dor na mandíbula ou algum outro sintoma, a melhor orientação é para que consulte um especialista da área.

Para facilitar, listamos aqui alguns casos em que pode ser necessário lançar mão de um tratamento ortodôntico. Confira se algum desses itens é para o seu caso.

Para além da estética

A utilização do aparelho ortodôntico não é só estética. Ele auxilia na melhoria da saúde bucal, já que está diretamente relacionada às funções da mastigação, respiração e até mesmo da fala. Seu propósito é corrigir o posicionamento dos dentes e, com isso, evitar problemas futuros com articulação da face, perda dos dentes e doenças na gengiva.

A duração do tratamento, em resumo, dependerá muito de como estão seus dentes. Isso quer dizer que cada caso é um caso, e que uma série de fatores podem determinar o tempo de uso do aparelho, tais como a resposta do organismo, a colaboração do paciente e o tipo de problema ortodôntico.

Quanto aos tipos de aparelhos, existem dois: os fixos e os removíveis. O primeiro é indicado para tratamentos prolongados, já o segundo é direcionado a correções mais simples.

Dentição encavalados

A dentição apinhada acontece quando o tamanho dos dentes é maior do que o tamanho dos maxilares. Como resultado, sobra pouco espaço e acaba havendo sobreposição de um dente no outro. Além do problema estético, dificulta a higienização e facilita o aparecimento de cárie e gengivite.

Diastema

O afastamento dos dentes (diastema) ocorre quando a quantidade deles é menor do que a arcada dentária, deixando espaços desnecessários. Isso pode devido a extração de dentes ou falhas. Portanto, o prejuízo, nesse caso, é estético e funcional, e um dentista poderá indicar qual o tipo de aparelho correto para o problema.

Mordidas disfuncionais

Uma série de problemas pode acometer a mordida. Em primeiro lugar citaremos aqui é a sobremordida, que ocorre quando os dentes anteriores superiores cobrem todos ou quase todos os dentes anteriores inferiores, podendo gerar desgastes nos dentes e também dores musculares.

Já quando os dentes anteriores inferiores ficam afastados dos superiores, com espaço entre eles, chama-se mordida aberta. Os causadores disso podem ser o uso de chupeta, a sucção dos dedos e a interposição da língua.

No caso da mordida cruzada anterior, os dentes anteriores superiores ficam atrás dos anteriores inferiores. Essa situação dificulta a mastigação e a fala.

Quando há mordida cruzada posterior, os dentes posteriores superiores ficam para dentro em relação aos posteriores inferiores. Além da estética, prejudica a respiração, fala e mastigação.

Outro problema comum é a mordida topo a topo, quando os dentes batem no topo um do outro. Isso causa problemas na mastigação e pode acometer perdas ósseas e algumas disfunções na articulação tempôro-mandibular.

Há ainda a mandíbula desalinhada, quando o centro da arcada superior não está alinhado ao centro da inferior. Neste caso e em todos os outros de mordida desregular, portanto, é necessário o tratamento ortodôntico.

Quer fazer uma avaliação sobre o seu caso? Entre em contato conosco!

Preencha seus dados e prossiga x